Portada » Notícia » A Assembleia das Regiões Europeias Vitícolas faz um balanço na sua 28ª Sessão Plenária e estabelece os seus próximos passos para impulsionar o sector vitivinícola europeu

A Assembleia das Regiões Europeias Vitícolas faz um balanço na sua 28ª Sessão Plenária e estabelece os seus próximos passos para impulsionar o sector vitivinícola europeu

Esta quinta-feira, 26 de Novembro, a Assembleia das Regiões Europeias Vitícolas (AREV) realizou a sua 28ª Sessão Plenária praticamente, depois de a ter adiado em Junho devido à pandemia da COVID-19.

Durante esta sessão plenária, mais de cinquenta autoridades e representantes de regiões vitícolas europeias partilharam a profunda preocupação do sector, que já se encontrava em crise antes da pandemia. Há um ano, ninguém poderia ter imaginado as consequências adicionais que a COVID-19 teria para o sector vitivinícola.

A reactivação do sector após as medidas de contenção para travar a COVID 19 e os seus efeitos, a reforma da PAC, tarifas americanas, digitalização e viticultura de precisão, novas técnicas de selecção de plantas, rotulagem, vinhas de forte inclinação, impostos fronteiriços para o comércio intra-europeu, e muitas outras questões que afectam as regiões vitícolas europeias ocuparam uma grande parte desta sessão da AREV, uma organização que tem a característica única de incluir representação política e inter-profissional, reunindo os presidentes das regiões europeias e, no âmbito de uma associação profissional (Conselho Europeu dos Profissionais do Vinho – CEPV), as organizações profissionais.

A Sessão Plenária da AREV foi apoiada por muitas autoridades líderes na cena política europeia, incluindo a Sra. Julia Klöckner, Ministra da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, a Sra. A sessão de abertura continuou com a presença e participação de personalidades como o Presidente de Castilla-La Mancha e Presidente da AREV, Emiliano García-Page Sánchez, o Comissário para a Agricultura e Desenvolvimento Rural, Janusz Wojciechowski, e os deputados europeus Anne Sander e Paolo De Castro.

Tanto a Comissão Europeia, através do seu Comissário Wojciechowski, como o Parlamento Europeu, através da Sra. Sander e do Sr. De Castro, foram unânimes em agradecer à AREV pela sua acção, como um interlocutor “privilegiado” e indispensável para o regresso das regiões vitícolas.

Durante esta sessão plenária, o Presidente da AREV, Emiliano García-Page Sánchez e o seu Primeiro Vice-Presidente e Presidente do CEPV, Aly Leonardy, fizeram o balanço das acções realizadas pela Organização desde a última sessão plenária realizada nos Açores, estabelecendo 5 objectivos a curto, médio e longo prazo: Recuperação da COVID-19, PAC, marketing, alterações climáticas e consumidores. O Presidente do CEPV, Aly Leonardy, apresentou o ambicioso programa da AREV para os próximos anos.

Da mesma forma, foi realizada a votação da região que irá exercer a presidência da AREV para os próximos dois anos, sendo eleita por unanimidade Castilla-La Mancha, representada pelo seu presidente, Emiliano García-Page Sánchez, região que lidera a Organização desde 2017. Por outro lado, o novo Secretário-Geral foi eleito, após a reforma de Alain d’Anselme, sendo apoiada, por unanimidade, a candidatura de Francisco Martínez Arroyo, actual Ministro da Agricultura, Água e Desenvolvimento Rural do Governo de Castilla-La Mancha.

O Director da OIV, Pau Roca, no seu discurso, convidou a AREV a participar na construção conjunta de um pavilhão de vinhos na próxima Exposição Mundial a ter lugar na OSAKA em 2025. Pela sua parte, o Presidente da COPA-COGECA vinhos, Thierry Coste, recordou aos Presidentes das regiões a singularidade dos terroirs vitivinícolas europeus e a sua responsabilidade de apoiar o bem-estar proporcionado pela Europa, a fim de manter a viticultura na Europa. Do mesmo modo, Yves Madre, Presidente da FARM EUROPE, explicou os desafios que o sector vitivinícola enfrenta.

Finalmente, a sessão plenária foi encerrada pela perita sénior e coordenadora do sector vitivinícola do grupo “Vinho, álcool e produtos hortícolas” da Direcção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural da Comissão Europeia, Linda Mauperon, e pelo deputado europeu Paolo De Castro, que destacou o grande trabalho que a AREV realiza na defesa dos interesses das regiões vitivinícolas europeias.