Os países europeus produtores de vinho unem a sua posição antes da reunião do Conselho AGRIFISH da próxima semana

Após a última reunião do Conselho Agricultura e Pescas (AGRIFISH), realizada em Março, na qual o Ministro espanhol da Agricultura, Luis Planas Puchades, solicitou aos seus homólogos dos Estados-Membros da UE um orçamento extraordinário e adicional para a recuperação do sector vitivinícola e, na véspera da celebração de uma nova sessão do AGRIFISH, a Assembleia das Regiões Europeias Vitícolas (AREV) seguiu o seu roteiro para unir posições comuns de apoio a esta exigência entre os países da UE-27, a Assembleia das Regiões Europeias Vitícolas (AREV) seguiu o seu roteiro para unir posições comuns de apoio a esta exigência entre os países da UE-27, procurando também o apoio da Presidência do Conselho, realizada este semestre pela ministra portuguesa, Maria do Céu Antunes, e pelo Comissário para a Agricultura e Desenvolvimento Rural, Janusz Wojciechowski.

Recorde-se que a AREV, já em Junho passado e tendo em conta o que estava prestes a acontecer, iniciou um diálogo específico com a Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e a Comissária para a Agricultura e Desenvolvimento Rural, com o objectivo de providenciar um orçamento adicional e extraordinário para o sector vitivinícola e a criação de um Grupo de Alto Nível para definir um plano de recuperação.

Com o apoio já consolidado da Alemanha, Áustria, Bulgária, Croácia, Chipre, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, França, Grécia, Hungria, Itália, Malta, República Checa e Roménia, que representam mais de 96% da produção de vinho da União Europeia, segundo dados publicados pela DG AGRI para a campanha 2020/21, através de uma carta, o presidente da AREV, Emiliano-García-Page, solicitou à Comissária da Agricultura e Desenvolvimento Rural que tenha em conta o pedido dos países e regiões vinícolas, com vista à próxima reunião AGRIFISH, com o objectivo de apresentar uma posição eficaz que permita a elaboração de um plano de recuperação para o sector vitivinícola, cuja situação, para além de ter sido afectada pelos efeitos da pandemia e pelas tarifas norte-americanas, foi agravada nas últimas semanas pela vaga de frio no Árctico, que atingiu principalmente a Europa Central.

As políticas adoptadas num ou noutro sentido em relação a esta dotação orçamental adicional são fundamentais, uma vez que as regiões vitícolas europeias representam cerca de 43% da área vitícola mundial, 60% da produção mundial de vinho e cerca de 53% do consumo mundial de vinho, e as suas repercussões irão afectar 1,8 milhões de explorações e 3,2 milhões de hectares de vinhas que fazem parte das nossas zonas rurais, da nossa paisagem e da nossa cultura, tanto mais na delicada situação em que este sector se encontra.

NOTA: Dados de produção de vinho publicados pela DG AGRI para a campanha de 2020/21 disponíveis em: https://agridata.ec.europa.eu/extensions/DashboardWine/WineProduction.html