Portada » Notícia » A AREV espera que o Conselho de Agricultura e Pescas apoie o pedido de um orçamento extraordinário para o sector do vinho

A AREV espera que o Conselho de Agricultura e Pescas apoie o pedido de um orçamento extraordinário para o sector do vinho

A Assembleia das Regiões Europeias Vitícolas (AREV) deposita as suas esperanças na mensagem de apoio ao sector que o ministro espanhol da Agricultura enviará esta segunda-feira aos ministros dos estados membros.

Desde o início da pandemia, há um ano, o sector vitivinícola tem enfrentado um período de grandes dificuldades, no qual, para além da situação do mercado e das relações comerciais com os EUA, uma nova campanha ligeiramente superior à anterior, e as consequências da pandemia COVID-19, tais como o colapso do canal HORECA, o turismo, e as restrições à mobilidade.

Dada a evidência da insuficiência de medidas excepcionais de apoio ao sector vitivinícola, aplicadas durante 2020 para apaziguar temporariamente a situação do mercado nos piores meses do Verão e prolongadas até Outubro de 2021, a necessidade de um orçamento extraordinário e adicional para o sector vitivinícola, exigido por profissionais, ganha força e apoio no seio dos representantes políticos.

Esta segunda-feira, 22 de Março, será o ministro espanhol da Agricultura, Luis Planas Puchades, quem dará conta desta necessidade urgente aos principais políticos dos estados membros da agricultura presentes no Conselho da Agricultura e Pescas, a quem a Assembleia das Regiões Europeias Vitícolas (AREV), através do seu presidente, Emiliano García-Page Sánchez, manifestou o seu total apoio e apoio a esta acção.

Este pedido surge apenas um ano após a AREV já ter alertado para as consequências que a pandemia iria ter no sector vitivinícola, e que, em Junho de 2020, foi transmitido à Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e à Comissária para a Agricultura e Desenvolvimento Rural, Janusz Wojciechowski, sob a forma de um pedido de dotação orçamental extraordinária adicional, como a feita em sectores como a carne ou os lacticínios, e a criação de um Grupo de Alto Nível, necessário para reactivar o sector e assegurar o desenvolvimento sustentável das regiões vitícolas.

O sector vitivinícola tem uma forte ligação de identidade com os territórios europeus e merece urgentemente um verdadeiro plano de recuperação, que possa impulsionar o duplo desempenho – tanto económico como ambiental – que lhe permitirá, por sua vez, desenvolver os desafios que se lhe deparam. Não se deve ignorar que as regiões vitícolas europeias representam cerca de 43% da superfície vitícola mundial, 60% da produção mundial de vinho e cerca de 53% do consumo mundial de vinho, e as repercussões que as políticas adoptadas neste sector podem ter, de uma forma ou de outra, nas 1,8 milhões de explorações agrícolas e nos 3,2 milhões de hectares de vinhas que fazem parte da paisagem, da paisagem e da cultura europeias.

A AREV espera que a reunião do Conselho Agricultura e Pescas no seio da UE seja frutuosa e que o pedido de um orçamento extraordinário, tão necessário para o sector vitivinícola, expresso ao Conselho Agricultura e Pescas, sob a presidência portuguesa, obtenha o apoio necessário para a sua protecção.